Oposição denuncia uso da máquina por Pimentel para defender Dilma do impeachment

Os deputados do bloco de oposição anunciaram uma representação junto ao Ministério Público e uma ação popular para denunciar o uso da máquina pelo governador Fernando Pimentel para defender Dilma do Impeachment, que configura improbidade administrativa.

O bloco de oposição Verdade e Coerência, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, repudia com veemência a nota oficial do governador petista Fernando Pimentel, divulgada em site e redes sociais do Executivo (http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticia/nota), sobre o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, sua “companheira de partido”:

  1. Ao usar o site de governo para manifestar sua opinião pessoal, em defesa de representantes do PT, o governador Fernando Pimentel comete um ato imoral e ilegal, que fere a Constituição Federal.
  2. O uso da máquina pública para promoção pessoal e político-partidária tem sido uma prática recorrente do governo Pimentel, conforme já reconhecido pela justiça e pelos mineiros. Desde que assumiu o governo de Minas, o PT tem abusado continuamente do seu poder político para promover de maneira ilegal o partido e seus representantes.
  3. Logo que assumiu o Executivo, o governo do PT em Minas gastou milhões em publicidade com o único intuito de criticar as administrações anteriores. Reiteradamente tem utilizado recursos públicos para fazer peças publicitárias enganosas, como as propagandas milionárias sobre obras que teria “herdado” paralisadas – o que já foi desmascarado pela oposição – e sobre o pagamento do piso dos professores, que ainda não passa de uma promessa.
  4. Outro abuso de poder político foi visto em dezembro, quando determinou que as fachadas das unidades do Farmácia de Minas fossem pintadas de vermelho, a cor do PT, mais uma vez usando os recursos públicos com claros fins de promoção partidária, tendo sido impedido de praticar tal ato em função de liminar da Justiça, concedida em ação movida por este bloco.
  5. Em duas representações, uma do bloco de oposição e outra do PSDB, o juiz da 1ª Vara da Fazenda Pública e Autarquias de Belo Horizonte, Michel Curi e Silva, concedeu liminar que suspende publicidade com recursos públicos por não ter qualquer finalidade pública, configurando, na verdade, propaganda eleitoral e promoção pessoal.

Conteúdo reproduzido do Bloco de Oposição na Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

Compartilhar

Comentários