Oposição vai obstruir votações para acelerar impeachment, sob comando de Aécio

A oposição na Câmara pretende obstruir todas as votações da Casa no plenário para acelerar a tramitação do processo de impeachment de Dilma Rousseff. A operação vem sendo discutida em decorrência da deflagração da 24ª fase da Operação Lava Jato, que teve como principal alvo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e ocorre com o aval de Aécio Neves, segundo a Folha de S. Paulo.

Na tribuna do Senado, Aécio comentou a delação de Delcídio do Amaral, que revela que a presidente Dilma Rousseff tentou interferir nas apurações da Operação Lava Jato, inclusive nomeando para o Superior Tribunal de Justiça (STJ) uma pessoa de sua confiança. Aécio anunciou que a oposição irá incluir as informações de Delcídio no processo de impeachment e também no de cassação no TSE.

“Na segunda-feira próxima, estaremos aditando essas denúncias, sob assinatura dos juristas Miguel Reale, de Hélio Bicudo e da doutora Janaína, a peça de impeachment que está tramitando na Câmara dos Deputados. Em especial no capítulo que fala de uma possível interferência da presidente da República no processo de investigação da Lava Jato, com a nomeação direcionada de ministros do STJ. Vamos solicitar também ao TSE o compartilhamento dessas informações, vamos dar ciência formalmente ao TSE dessas informações para que ele também possa aprofundar nas investigações da sua consistência, da sua veracidade. Mas o fato concreto é que o Brasil hoje está frente ao momento mais grave dessas denúncias. Se confirmadas, a presidente Dilma Rousseff não tem mais condições de continuar governando o país.

Para Aécio, a gravidade do momento pelo qual o país atravessa exige uma postura da presidente Dilma Rousseff:

“Será que não está no momento de a presidente da República, pensando não agora no seu partido e sequer no seu futuro, mas pensando no país, renunciar ao mandato de presidência da República para que, a partir desse gesto, nós possamos iniciar uma grande concertação e, a partir dela, a construção de uma agenda de retomada da confiança e, a partir dela, dos investimentos e, a partir deles, dos empregos para os brasileiros?”

O senador também usou o discurso para convocar a sociedade brasileira para participar das manifestações programadas para o próximo dia 13 em todo o país. Aécio destacou que é hora de dar um basta definitivo aos escândalos de corrupção e ao desgoverno que tomam conta do país.

“Esse é um momento de reflexão profunda e essa reflexão não pode estar restrita aqui, ao Congresso Nacional. No próximo dia 13 de março, estaremos juntos, os brasileiros que querem mudança, dentro da ordem constitucional, estaremos juntos para dizer aos quatro cantos deste país: Chega. Basta de tanta corrupção. Basta de tanto desgoverno. E para dizermos aos tribunais e à própria presidente da República: Dê ao Brasil uma nova chance. Dê ao Brasil um novo início, uma nova trajetória. Com este governo essa trajetória não se reiniciará.”

Compartilhar

Comentários