Pedro Taques é o único governador a enfrentar Dilma em reunião

O governador de Mato Grosso, Pedro Taques, retrucou Dilma quando a presidente, em um encontro com governadores, disse ter ficado indignada com a condução coercitiva de Lula:

“Eu não sairia desta sala com a consciência tranquila e não respeitaria o bom povo de Mato Grosso, que me mandou aqui, se não expressasse minha opinião. Entendo que não houve abuso ou perseguição. Ninguém está acima da lei. Todos, inclusive eu, podemos ser investigados. A lei não pode servir para beneficiar amigos nem para prejudicar inimigos.”

Quando Dilma resolveu defender a si mesma das acusações contra ela na Lava Jato, Pedro Taques enfrentou a presidente novamente, lembrando que foi um dos senadores que assinou a representação protocolada na PGR contra Dilma pelas suas ações enquanto presidente do conselho da Petrobras. “Presidente, quero dizer a Vossa Excelência que eu, pessoalmente, redigi essa peça. Representei contra a senhora na Procuradoria. Meu nome está aí. Não posso esquecer o que assinei e redigi. Eu e colegas como Cristovam Buarque, Pedro Simon, Randolfe Rodrigues… Li a decisão do procurador-geral. Respeito a sua história. Mas não renego o que escrevi.”  Na época, ele era senador pelo PDT, que está na base do governo. Hoje, Taques está formalmente na oposição, no PSDB.

O conteúdo da reunião foi divulgado por Josias de Souza, que também destacou que nenhum outro governador teve a coragem de Taques.

Compartilhar

Comentários