Pimentel aposta na Assembleia para livrá-lo do afastamento

Após ser denunciado ao Superior Tribunal de Justiça, o governador de Minas Gerais Fernando Pimentel (PT) entrou com um habeas corpus no STF para que a denúncia contra ele só seja aceita com autorização dos deputados estaduais mineiros. O temor de Pimentel é que a Constituição Mineira, em seu artigo 92, determina que se o STJ aceitar uma denúncia contra um governador de Minas, o afastamento do cargo é imediato. Pimentel foi denunciado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, e citado em pelo menos duas delações: seu operador Bené disse que o agora governador recebeu R$ 20 milhões da CAOA, e o contador Roberto Trombeta confessou a entrega de R$ 3 milhões em dinheiro vivo.

A aposta de Pimentel é levar a decisão sobre seu afastamento para a Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais, onde o petista ainda tem ampla base, e lá fazer tudo terminar em pizza. Por isso, nos próximos dias, a Turma do Chapéu divulgará os contatos de alguns parlamentares que ainda estão na base de Pimentel para que os mineiros possam fazer pressão. A Procuradoria-Geral da República discorda da estratégia do petista pediu ao STJ que recebesse a denúncia sem consultar a Assembleia, seguindo o que determina a Constituição de Minas.

Segundo a coluna Radar, os ministros do Superior Tribunal de Justiça já discutem o afastamento do governador.

Compartilhar

Comentários