Processo de Hélio Costa na Lava Jato é enviado para Sergio Moro

Hélio Costa, do PMDB mineiro, é um velho conhecido dessa Turma do Chapéu. Foi o primeiro (de muitos) a tentar nos tirar do ar. Então, sim, ainda guardamos algum carinho especial por ele. Dito isso, vamos ao que é novidade.

Foi publicada hoje no sistema do Supremo Tribunal Federal a decisão do ministro Celso de Mello a respeito da petição 5.801 da Procuradoria-Geral da República. É uma petição relativa à Operação Lava-Jato, que encaminha os casos de citados em delação premiada sem prerrogativa de foro no STF para quem for competente. Celso de Mello redistribuiu os processos para as Cortes correspondentes ao foro de cada um dos citados. Um dos listados é Hélio Costa, ex-ministro e ex-senador que, sem prerrogativa de foro, caiu na 13ª Vara Federal de Curitiba – a do juiz Sergio Moro.

WALDEMAR COSTA NETO

PETIÇÃO 5.801 DISTRITO FEDERAL

Junto com Hélio Costa, também foi para Moro o processo de Valdemar da Costa Neto, que entrou no radar da Lava Jato depois de ter sido condenado no mensalão. A PGR afirma que em uma delação premiada, foram relatados “fatos aparentemente criminosos”. As suspeitas são de “prática de crime de corrupção passiva ou de falsidade ideológica eleitoral e de lavagem de dinheiro, em concurso de pessoas”. Alguns nomes também tiveram o arquivamento pedido na mesma petição, já que a PGR não encontrou provas que caracterizassem as alegações.

Mês passado, em 17/01, a coluna Radar on-line publicou que a Polícia Federal pediria a quebra dos sigilos dos celulares e dos telefones fixos de uma casa onde funcionou o comitê de campanha de Costa ao governo de Minas em 2010. Não sabemos se os dois casos são relacionados, ou se é mais uma notícia para tirar o sono de Hélio Costa.

PETIÇÃO 5.801 DISTRITO FEDERAL

PETIÇÃO 5.801 DISTRITO FEDERAL

Compartilhar

Comentários